A mania do "parecer" deveria acabar

Atualizado: há 6 dias

Que a comunicação tem o costume de produzir estudos de benchmark (pesquisa de mercado) todo mundo já sabe e, com certeza, é uma prática extremamente saudável. Acredito que buscar por referências, acompanhar o que anda acontecendo no mundo, entender boas e más práticas é fundamental para se inspirar e desenvolver ideias. Super recomendo! Mas, nessa caminhada na comunicação cristã, tenho visto que é mania das igrejas (e, claro dos comunicadores de plantão) irem muito além dos benchmarks: temos a cultura de construir ideias, conceitos e ações que se "parecem" com alguma coisa que circula nos sites e perfis favoritados. Quase cópias que, nem sempre podem funcionar na nossa realidade brasileira, na sua realidade local. 


O que eu tenho de contra as ideias que se "parecem"? Confesso que, entre muitas possibilidades de respostas que embasariam minha crítica, prefiro a principal delas que está relacionada a perda de identidade. Se, na comunicação você vive de se "parecer" com algo, alguma marca ou alguém, onde está sua verdadeira identidade? Onde as pessoas conseguem observar seu DNA, sua essência e seu conteúdo? Será que, com este tipo de prática, você não esconde de fato o que sua marca é, que sua igreja se propõe a ser?


Pode parece que essas minhas perguntas estão apenas querendo encontrar os defeitos da marca, mas tenho certeza que é possível entender esta lista de questionamentos da forma inversa. Copiando ideias, copiando conceitos "gringos", trazendo tendências estéticas não adequadas à sua realidade pode ser que você esteja deixando de apresentar suas virtudes, verdades, ideias e apresentações mais coerentes com o que seu projeto de igreja se propõe a ser.


Quando falamos sobre branding, a maior preocupação não está sobre o cuidado com a logomarca e, sim, com a marca (conjunto de elementos) e todas as suas manifestações em pontos de contato com sua audiência. Tudo precisa parecer coerente e alinhado com o que você prega e com o que você faz! Se " parecer" com algo ou alguém destrói um projeto de branding, cria a necessidade de muito esforço de adequação de linguagem e aumenta as chances de sua igreja ter dificuldades na conexão com sua audiência.


O que recomendo? Sonhe o teu sonho! Execute o sonho a partir de sua essência! Esteja alinhado com seu contexto, com sua história! Identifique o seu DNA de comunicação! Sonhe, planeje e conecte toda sua execução de comunicação com seus objetivos finais! Você verá que copiar, ou como estamos falando aqui "parecer com algo", é muito menos produtivo pensando nos resultados de sua missão. Pense nisso!



Photo by Alex Iby on Unsplash


  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • Branca Ícone Spotify

© 2020 customizado por ChurchCOM.com.br