Conectar é preciso!

Se você leu essa frase e imaginou que eu falaria sobre tecnologia, internet, mundo digital e etc, ERRRROUUUUU!, como diria aquele "meme" do apresentador Faustão. Conectar é preciso também no mundo digital. Levar sua igreja para o ambiente digital é inevitável e, é neste mundo dos "bits and biytes" que boa parte da sua missão deveria acontecer (se ela ainda não acontece, corra!). Mas estou falando de outro tipo de conexão. Estou querendo falar aqui sobre a união de coisas, projetos, ministérios, pessoas e, por aí, vai.


No imaginário de qualquer pessoa, envolvida ou não na igreja, deve passar a fato de que conectar seja algo natural no ambiente eclesiástico. Não é? Mas, meu caro Watson, nem sempre a coisa funciona pela lógica do ajuntamento. A prática da dispersão e do "deixa que eu resolvo por aqui e do meu jeito" é mais comum do que você possa imaginar. Pessoas acostumadas a ausência de métodos e, claro, também acostumadas a ausência de estrutura de apoio, tornam o ambiente da igreja uma colcha de retalhos de projetos, ministérios, ações, comunicações e conteúdos.


Em boa parte desta minha caminhada apoiando as igrejas a desenvolverem-se em sua comunicação tenho me dedicado a ajudar seus líderes a se conectarem, uns com os outros e, também, todos com o objetivo principal daquela comunidade. É muito simples e fácil escolher resolver uma coisa "do meu jeito", mas você não tem ideia do quanto é complexo quebrar o vício do individualismo ministerial nas igrejas. Mais do do que difícil, é uma ação disruptiva que muitas vezes precisa convidar a igreja a se reinventar organizacional ou, de alguma maneira, começar de novo. Nem sempre, ainda mais em um ambiente extremamente emocional e espiritual a autonomia é usada da forma correta ou a liberdade de ação é feita em prol de um bem comum. Além disso, não há nas igrejas uma cultura organizacional que impele as equipes a trabalharem debaixo de um direcionamento estratégico que as fará cumprir objetivos comuns. A realidade é que cada ministério toca sua vida de forma autônoma e, do ponto de vista de comunicação, isso é um desastre quando pensamos em empedrar o conteúdo, engajar pessoas, conectar vidas com o evangelho de Jesus, mobilizar entre outros.


Por isso, conectar é preciso para o bem das igrejas e, principalmente, para o bem das pessoas que estão em sua comunidade. E vou elencar aqui alguns tópicos que te ajudarão a, também, trabalhar para conectar as ações de sua igreja:


1 - É preciso ter um planejamento macro, da igreja, que direciona e envolva todos nos objetivos;

2 - Ministério é parte da igreja e não anda sozinho;

3 - Crie padrões (templates, padrões visuais, documentos, reports e etc);

4 - Estimule o trabalho em equipe, reuniões de time, projetos com sinergia entre ministérios;

5 - Crie uma cultura organizacional (pontos de avaliação, governança, objetivos, pis);

6 - Estabeleça regras e procedimentos que deverão ser seguidos por equipe, voluntários e colaboradores;


Tenho certeza que, nestes seis pontos, moram as melhores soluções para uma igreja que atue de forma conectada, integrada e sinérgica!



  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • Branca Ícone Spotify

© 2020 customizado por ChurchCOM.com.br